Mini guepardo robótico do MIT salta em terrenos irregulares.


Imagem: Divulgação/MIT.


O MIT divulgou um novo sistema que permite que os robôs de quatro patas saltem em tempo real através de terrenos irregulares, mostrando um guepardo com traços inclinados através de um campo rolante, limitando sobre brechas repentinas no terreno acidentado. 

Para isto, a equipe de pesquisadores focou em desenvolver um sistema que melhora a velocidade e a agilidade de robôs com pernas ao saltarem sobre espaços no terreno. 

Formam o grupo, os estudantes e professores Gabriel Margolis, Pulkit Agrawal, Steven G. e Renee Finn,  Sangbae Kim, Tao Chen e Xiang Fu e Donghyun Kim, professor assistente da Universidade de Massachusetts em Amherst.

Funcionamento.


Duas partes do sistema novo de controle trouxeram os resultados inovadores: uma delas, é a que processa informações em tempo real de uma câmera de vídeo montada na parte frontal do robô enquanto a outra, tem a funcionalidade de traduzir essas informações em comandos sobre como o robô deve mover seu corpo.

Foi constatado, que o sistema de duas partes não demanda mapeamento prévio do terreno , permitindo ao  robô, ir a qualquer lugar. 
 
A expectativa é que  em missões emergenciais no futuro, os robôs de quatro patas, adentrem na floresta em uma missão ou também subam um lance de escadas para facilitar a entrega de medicamentos a um idoso que está fechado ou com problemas de deslocamento.

A câmera do robô mostrou-se efetiva ao capturar imagens de profundidade do terreno que se aproxima. As mesmas são enviadas a um controlador de alto nível anexando dados sobre o estado do corpo do robô (ângulos de articulação, orientação do corpo etc.).

O futuro dos robôs de quatro patas. 


Esse tipo de movimento é uma conquista no que diz respeito a robôs deste tipo e os pesquisadores testaram seu sistema no MIT mini guepardo, um robô potente e ágil construído no laboratório de Sangbae Kim, professor de engenharia mecânica.

É esperado futuramente, que seja possível viabilizar um computador mais potente no robô para que ele possa fazer toda a computação a bordo.
 
O aprimoramento do estimador de estado do robô para eliminar o uso do sistema de captura de movimento, dentre outras novidades, também estão entre as aspirações dos desenvolvedores. 
 
Você pode gostar de ler:
 




Postar um comentário

0 Comentários